Este está feito….

Visto que o ultimo post aqui “No local do costume” foi sobre o inicio do ano de 2017 penso que o proximo texto será apropriado…

Tenho há bastante tempo por norma o habito de definir sempre 3 objectivos pessoais no inicio de cada ano e 2017 não foi uma excepção… Nunca são coisas inatingiveis, mas são sempre coisas que na altura em que penso neles não me sinto preparado para cumprir o que ajuda um pouco à motivação para os mesmos… Nem sempre os cumpro todos e este ano não foi diferente.

Dois deles tiveram de ser riscados da agenda em meados de Abril sendo que apenas me restava um e este teria obrigatoriamente que o concretizar…

Restava o objectivo de efetuar a subida à Torre da Serra da Estrela de Bicicleta e tudo parecia bem encaminhado para tal. Comecei bem cedo a treinar para que não tivesse muito sofrimento ao fazer a subida, parece que não mas são 24KM sempre a subir totalizando aproximadamente 2000m de acumulado. No entanto em meados de Agosto tudo mudou…

Tinha planeado fazer esta “maluquice” no fim de semana de 7 de Setembro e assim aproveitar o fim de semana prolongado e passar uns dias naquela zona. Eis que surge a proposta do Grupo de BTT de efetuar uma viagem Marco-Fatima pelos Caminhos de Santiago na mesma altura… Decidi-me, e alterei então o destino e enverguei antes por esta opção.

E faz precisamente hoje 1 semana em que acabei. Foram 3 dias fantasticos de excelente camaradagem  boa diversão acima de tudo.

 

 

Já tinha tido a ideia de ir a Santiago de Compostela também de bicicleta pelos caminhos, aliás era um dos objectivos do ano passado que acabei por não cumprir, e fazer agora os caminhos para baixo até Fatima provou-me que efetivamente é uma experiencia diferente.

E foi, conhecer terras como o Zambujal, conhecer pessoas como a Dona Paula e o Marido, passar por locais que pareciam saido de um filme sobre carteis mexicanos… Fantastico.. Valeu por tudo…

A viagem no total contabilizou aproximadamente 260km e 4000m de acumulado. O primeiro dia foi claramente o mais exigente a nivel de peso nas pernas, foram 140km com 2000m… Quando pensavamos que metade estava feito acho que não tinhamos noção do que ai vinha.

O Segundo dia devido a um erro logistico de nossa parte (não tinhamos marcado dormida para este dia) e devido ao facto de ser um fim de semana com várias peregrinações a Fátima causou-nos problemas pois tivemos de dormir ainda um pouco longe pelo que só pedalamos por 55km, acho que poderiamos ter aproveitado mais e feito uns extra 15km o que nos ia poupar para o que encontramos no terceiro dia…

Estavamos fora do track que tinhamos carregado no GPS, que apesar de nos terem dito que era pelos Caminhos de Fatima não era verdade, pelo que o nosso objectivo era seguir as setas azuis e assim fariamos sempre.

Não sabiamos quantos kms faltavam até Fatima. Uns diziam que era 60, outros que eram 15 outros 30… Bem apenas nos restava pedalar e chegar lá… Quando a meio da manhã encontramos um simpatico senhor que nos diz que faltam 60kms (isto depois de já andarmos 15) chegamos a duvidar se estavamos no caminho certo… Era impossivel estarmos tão longe assim de Fatima. Mas as setas não enganavam. Mandavam seguir em frente e não tinhamos outro remedio senão seguir. As pernas começavam a queixar-se um pouco.. Estavamos fartos de subir monte para depois descermos o mesmo….

Lembro-me de ter uma sensação de “raiva” quando pelo ritmo imposto estavamos separados em 3 grupos, sendo que iam 2 colegas mais a frente, eu a meio e outro grupo um pouco mais atrás, numa descida de terra batida onde deveria ir a uns 25-30km/h, já de pé para poupar as pernas e o rabo, olho para a paisagem e vejo uma subida acentuada, e penso para mim “Não me digas que vou ter de a subir…” E eis que neste preciso momento vejo 2 bicicletas a fazerem a subida… A minha suspeita confirmava-se, era o grupo da frente… Bem estar a descer e ver já o que ia ter de subir depois de tantos kms nas pernas revoltou-me um pouco… E o pior é que os ultimos kms foram sempre assim… subir para depois descer…

Os ultimos 20kms admito que já me custaram um pouco.. Já estava a começar a sentir os musculos a quererem saltar do sitio e mandarem-me dar uma volta… Mas felizmente aguentaram-se e depois de me juntar ao grupo da frente finalmente vimos uma placa que diria “Freguesia de Fátima”… “Estamos quase…” pensei eu… E estavamos… Quase a fazer mais umas subidas, desta vez em alcatrão, só para não perdermos o ritmo….

Antes de chegarmos ao Santuário esperamos pelos restantes para entrarmos todos juntos….

E chegamos… Ao entrar descemos das bicicletas e entramos com elas à mão como sinal de respeito…

 

Dizem que quando se faz uma peregrinação destas e se chega ao final se sente algo… Vou ser honesto… O que senti naquela altura foi um sentimento de objectivo cumprido… E bem cumprido…. Sentia-me bem, fisicamente estava bem, tinha-me preparado para tal e o que pensei que iria sofrer nem se aproximou da realidade que se verificou… Demoramos o nosso tempo e fizemos o nosso caminho. Sempre juntos com a unica regra que a amizade e o divertimento teriam de nos acompanhar sempre… E assim foi… E quando assim é nada custa, nada dói, nada nos impede…

São objectivos destes e com “gajos” destes que no fim vemos que nada é impossivel, apenas basta querer…

Obrigado pessoal! Vamos marcar a próxima?

Leave a Comment