Leishmaniose… o que mais resta?

A leishmaniose é uma doença crônica, de manifestação cutânea ou visceral (pode-se falar de leishmanioses, no plural), causada por protozoáriosflagelados do gêneroLeishmania, da famíliaTrypanosomatidae. O calazar (leishmaniose visceral)[1] e a úlcera de Bauru (leishmaniose tegumentar americana)[2] são formas da doença.

As várias formas de leishmaniose podem ser zoonoses ou antroponoses, ou mesmo antropozoonoses. A forma visceral existente no Brasil e em Portugal é uma zoonose comum ao cão e ao Homem.[3] É transmitida ao Homem pela picada de fêmeas de insetos dípteros flebotomíneos, que compreendem o gênero Lutzomyia (chamados de “mosquito palha” oubirigui, no continente americano) e Phlebotomus (no chamado Velho Mundo: Europa, África e Ásia).

É isto que a WikiPedia fala sobre a leishmaniose… Só mesmo uma “desgraça” destas para me fazer voltar a escrever no blog…

Quando vejo que já passou 1 ano desde que escrevi algo por um lado até fico contente, quer dizer que nada de muito significativo se passou… Mas pensando melhor até não foi bem assim….

Faz agora também um ano que a menina Kuka tem andado a fazer das suas…

Como referi há coisa de 1 ano esteve internada durante 1 semana… Por incrivel que pareça os cães também podem sofrer da febre da carraça e claro, dos vários tipos que existe ela teve de apanhar logo a mais complicada… Até transfusão de sangue teve de levar… bem 1 semana para esquecer..
No entanto não é sobre isso o tema deste artigo, é sim sobre a nova “aventura” dela.. Decidiu ela ser picada por um mosquito e assim contrair a leishmaniose, uma das piores doenças que os cães podem apanhar.

O aspecto dela é mau infelizmente.. Tem a cara cheia de manchas de feridas, não coloco imagens pois não quero guardar este momento para o futuro, prefiro ter uma imagem dela com todo o seu pelo.

Depois de visita ao veterinário na semana passada onde recebi este diagnostico deu-se então inicio ao tratamento… Para começar vamos tratar de remediar uma otite que tem nos ouvidos o que implica ter de lhe limpar os ouvidos durante 10 dias seguidos.. Ora isto é coisa para me demorar cerca de 15minutos (por ouvido) pois ela nem assim fica calma.

O segundo passo, que já começou ontem, tratou-se iniciar a medicação por 28 dias de um xarope destinado a combater o parasita.. Só após estes 28 dias vamos ver como evolui o combate… A leishmaniose não tem cura e ela terá de tomar medicação para o resto da vida e ser submetida a analises ao sangue de 3 em 3 meses aproximadamente. Ainda não sei se será necessária  a esterilização dela mas na proxima visita ao veterinário. Neste momento, e apesar do custo avultado que tem todo o tratamento inicial o que importa é dar-lhe qualidade de vida. Nos 4 anos que convivemos juntos já tantas alegrias tivemos com ela, tantos momentos passados que não aceito por nenhuma razão ser privado disso para o futuro.

 

Se os outros conseguem ela também irá conseguir.. Custe o que custar…

Leave a Comment