Caminhos de Santiago

Tal como referi aqui em Março/Abril do corrente ano decidi dedicar-me um pouco mais a pratica do BTT.

Quando se inicia a pratica de um desporto, ou se retoma, existe sempre uma envolvente com grupos de pessoas que nos abre a portas a situações desconhecidas. Seja com o BTT, o futebol, o tenis, etc… é normal tomar conhecimentos de algumas histórias/adventuras que de certa forma marcam os desportos..

O BTT não é exceção, muito pelo contrario… Até à altura em que comecei a praticar não fazia ideia do que seriam provas denominadas de “Cape Epic”, “NGPS”, “Caminhos Franceses de Santiago” e o “Caminho Português de Santiago”.

E é precisamente sobre este que escrevo este texto…

Deixo o que a Wikipedia tem a dizer sobre este caminho…

Os Caminhos de Santiago são os percursos percorridos pelos peregrinos que afluem a Santiago de Compostela desde o século IXpara venerar as relíquias do apóstolo Santiago Maior, cujo suposto sepulcro se encontra na catedral de Santiago de Compostela. A peregrinação foi uma das mais concorridas da Europa medieval, cuja importância só era superada pela Via Francigena (com destino aRoma) e Jerusalém, sendo concedida indulgência plena a quem a fizesse. Depois de vários séculos relativamente esquecida, desde os anos 1980 que a popularidade da peregrinação tem vindo a crescer substancialmente, embora grande parte das pessoas que fazem o Caminho — nome pelo qual é também conhecida a peregrinação — atualmente não o façam por motivos religiosos. O Caminho tornou-se um itinerário espiritual e cultural de primeira ordem, que é percorrido, que por dezenas ou centenas de milhares de pessoas todos os anos. Foi declarado Primeiro Itinerário Cultural Europeu em 1987 e Património da Humanidade (na Espanha em 1993 e na França em 1998).

Os caminhos espalham-se por toda a Europa e vão entroncar nos caminhos espanhóis. Com excepção das várias vias do Caminho Português e da Caminho da Prata, do qual uma variante atravessava o nordeste de Portugal, que têm origem a sul, e do Caminho Inglês que vinha do norte, a maior parte liga-se ao Caminho Francês, cuja rota mais popular entra em Espanha na zona de Pamplona(Roncesvalles), se encontra com as restantes em Puente la Reina e segue ao longo do norte de Espanha. O Caminho é geralmente feito a pé, mas também pode ser feito de bicicleta, a cavalo, ou até de burro.

O símbolo dos peregrinos (do latim per ægros, “aquele que atravessa os campos”) têm como símbolo uma vieira, a venera, cujas origens se atribuem aos povos ancestrais que antes do cristianismo peregrinavam a Finisterra, durante muitos séculos considerado o local mais ocidental do mundo conhecido e, como tal, o fim do mundo. O Caminho de Santiago é popularmente associado desde há séculos à Via Láctea, por supostamente indicar o caminho para Santiago de Compostela à noite. Via Láctea é um dos nomes dado ao Caminho e um dos nomes populares da galáxia em Espanha e Portugal é Caminho ou Estrada de Santiago.

Fonte

 

Os Caminhos de Santiago são uma pratica “normal” para quem pratica cicloturismo, btt e atividades relacionadas com as duas rodas a pedal). De modo que ao entrar neste circulo a ideia de ir a Santiago começa a desenvolver dentro de cada um… No meu caso não foi a nivel de peregrinação ou algo do genero, pois como referi nem sequer conhecia esta história no entanto o desafio do percurso começa a fazer um bichinho dentro de mim desde que soube da mesma…

Se desafios como, por exemplo os Caminhos Franceses de Santiago (mais informação) são algo de completamente utopico neste momento para mim, o Caminho Português não o parecia ser… Durante este ano sempre o disse que em 2015 queria ir fazer este caminho… Sozinho ou acompanhado teria de o fazer, já se tinha tornado um objectivo.

Cheguei inclusive a ter alguns convites para o realizar ainda este ano por um amigo que se dedica a organizar este tipo de eventos, mais sobre isto à frente, no entanto como sempre disse, este ano não estava preparado fisicamente e seria apenas no próximo ano.

Normalmente o Caminho Português é efectuado em 3 dias, 80 kms no primeiro, 80-90 no segundo e os restantes no ultimo dia.

Na semana passada o amigo que referi atrás informou-me que iria fazer um passeio de 1 dia apenas recriando o primeiro dia do trajecto em modo recreativo e aceitei ir. Queria ver se os “Caminhos” eram efectivamente tão dignos da reputação que tem entre os bttistas, e não só.

Ora em conjunto com o meu primo Tó destas andanças, e aproveitando que seria feriado ontem lá metemos as bicicletas na mala do carro e fomos até ao Porto pelas 7 da manha de forma a nos encontrar-mos com os restantes na loja GaiaBike para seguimos de bicicleta até à Sé e iniciar-mos o Caminho…

Fomos um grupo de 7 pessoas, todos convidados pelo organizador, Filipe Teixeira (www.bikeadventuretour.com) que tinha planeado o jantar e os banhos já em Ponte de Lima e a viagem de carrinha de regresso ao Porto.

Antes de mais devo enaltecer toda a boa disposição do Grupo, foi sem duvida uma grande ajuda para a viagem. Durante a manha e ainda percorrendo algumas ruas mais movimentadas devo dizer que tive alguma dificuldade em seguir “as setas amarelas”, setas estas que marcam o caminho para Santiago. Mas depois de lhe apanhar o jeito a verdade é que já seguia na frente e pouco me enganando. Numa ou outra descida em que ia mais concentrado bem me enganei mas volta-se atrás e segue-se novamente…

O destino de manha era Barcelinhos, para o almoço. A hora de partida foi pelas 8.45 e a chega a Barcelos ocorreu por volta das 13 horas sensivelmente… Estava completamente cheio de fome, isto pois por lapso não levei barras energéticas para ingerir durante a manha e como estava numa manha em que tudo me estava a sair bem, acho que nunca desci tão rápido desde que ando de bicicleta, pois por diversas vezes deixava o grupo para trás quer nas descidas quer nas subidas. Paramos então no restaurante Piri-Piri em Barcelinhos e comemos uns panados mistos simplesmente divinais, mais uma boa escolha do Filipe.

Após as normais fotografias junto ao Galo de Barcelos, assim como íamos tirando durante a viagem nos sítios mais emblemáticos, lá voltamos à carga durante a tarde…
Tarde esta que pessoalmente me custou mais um pouco, tenho a noção que de manha puxei muito pelas pernas e a paragem para o almoço, apesar de necessária quebrou-me o ritmo. Os kms também já começavam a deixar marca (Porto-Barcelinhos são aproximadamente 60km), o joelho direito começava a dizer que já chegava mas depois de aquecer novamente já voltou ao ritmo. E foi nesta altura que os músculos das pernas começavam eles a queixar-se sempre que existia necessidade de uma subida mais íngreme, e a saída de Barcelos tem algumas bem duras, não longas, mas íngremes que cheguem…

O destino era Ponte de Lima e chegamos lá por volta das 17:00, o GPS marcava na ordem das 5 horas e 40 de movimento, pelo que significava que tivemos parados à volta de 2 horas sensivelmente o que não me parece nada fora do contexto visto que íamos numa ideia de recriação.

Cheguei ao fim e disse ao meu primo com toda a convicção: “Para o ano seja com quem for eu venho fazê-lo todo…” Ele também concordou em vir pois é efectivamente um percurso magnifico, não é nada de técnico ou alucinante mas a paisagem, os caminhos rurais por onde passamos deixa sem duvida um gosto especial para repetir.

A próxima repetição deste caminho serão 3 dias, 3 dias em que no fim do primeiro não volto para o trabalho como hoje mas sim volto para cima da “burra” novamente e o corpo vai ter de aguentar.

Claro que este dia serviu para ver alguns erros que se poderão evitar na próxima vez. mas tudo a seu tempo se fará…

Agradeço desde já ao Filipe Teixeira e à Bike Adventure Tour pelo convite realizado. Foi sem duvida um dia para recordar e que superou largamente as minhas expectativas… E para o ano… para o ano Santiago me espera!!!

 

 

Leave a Comment